O Inevitável Fim

O ensaio fotográfico “O Inevitável Fim” é fruto de um trabalho acadêmico para a disciplina de Fotojornalismo, sob orientação da professora Erica Franzon, e que tem como temática a morte.

 

Ele é o quarto e último produto a compor o “Projeto Letargia”, e o único que os membros da equipe, inicialmente, pensaram em não utilizar como parte do coletivo, já que ele não aborda, diretamente, a questão do suicídio. O que foi repensado, posteriormente devida à relevância de sua temática.

 

Inspirado no radiodrama “Letargia”, a ideia, diante do aumento da taxa de mortalidade por suicídio entre jovens de 15 a 29 anos e da perplexidade que a morte provoca no ser humano, foi fazer uma releitura particular de interpretações da morte que algumas religiões, povos e regiões, que demonstram uma boa relação com o fenômeno e diferentes formas de lidar com ele, adquirem para si.

 

O objetivo do ensaio é discutir a partir de reflexões culturais e religiosas a compreensão que o ser humano tem da morte, esclarecer as pessoas por meio dessa abordagem para ampliar a compreensão do tema, divulgar outras culturas e crenças, e contribuir para a tolerância. Além de proporcionar conforto aos pais daqueles que recorreram e recorrem ao ato da morte voluntária e lhes mostrar que a partida do plano físico não tem que necessariamente representar o fim absoluto da vida de seus filhos.

 

As representações utilizadas para sua construção foram as das culturas: celta, mexicana, ocidental e indígena, do povo matis; das religiões: islâmica, Candomblé e Umbanda; e das crenças: budista, grega e nórdica.

 

Modelos: Alexandre Takeshi (Budista); Amanda Sampaio (Celta); Ana Claudia Giese (Mexicana); Diana Diniz (Umbanda); Felipe Matheus (Candomblé); Leandro Pinto (Islâmica); Leonardo Smith (Grega e Ocidental); Letícia Yoshimura (Nórdica); Thamyres Mayara Neves (Indígena Matis).

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now